Projetos Financeiros

Aqui você encontra diversas possibilidades de crédito.

BeneficiosBrasilDicasEconomiaEmpréstimoEmpréstimo PessoalInternacionalInvestimentosMercado de açõesNovidades

‘Dinheiro esquecido’: mais de 1 milhão de pessoas já resgataram R$ 62,1 milhões, diz Banco Central

Maior valor sacado por uma pessoa física foi de R$ 328 mil. Por pessoa jurídica, resgate mais alto foi de R$ 133 mil. Há, no total, mais de R$ 6 bilhões para serem devolvidos.

Os saques de dinheiro esquecido em instituições financeiras começaram nesta terça-feira (7), às 10h da manhã, pelo Sistema de Valores a Receber (SVR), do Banco Central do Brasil. Até as 17h30, mais de 1 milhão de pessoas resgataram um total de R$ 62,1 milhões, segundo balanço parcial do BC.

A autoridade monetária informou que o maior valor sacado por uma pessoa física foi de R$ 328 mil. Por pessoa jurídica, o resgate mais alto foi de R$ 133 mil.

De acordo com o Banco Central, após picos “esperados” de procura durante as primeiras horas, “o tempo médio em fila foi rapidamente sendo reduzido até chegar a zero, por volta das 17h15”.

Pela manhã, a fila virtual chegou a 300 mil pessoas simultâneas, e a espera estimada para realizar os saques era de duas horas. A situação gerou memes nas redes sociais.

O BC reforçou que o SVR permanecerá aberto para todos, sem interrupções programadas, para o resgate de valores no sistema financeiro. “Independente do montante, o recurso pertence ao cidadão e deve a ele ser devolvido”, afirmou, em nota.

Ao todo, 38 milhões de pessoas físicas e 2 milhões de empresas têm cerca de R$ 6 bilhões a resgatar, segundo o BC. A página para consulta inicial de valores esquecidos está ativa desde a última terça (28).

Confira o passo a passo para resgatar seu dinheiro:

Se você já confirmou que possui recursos a receber (veja como fazer), atente-se à próxima etapa, que é o pedido de transferência do dinheiro.

Antes do passo a passo, é importante ressaltar que, via sistema do Banco Central, os valores só serão liberados para aqueles que fornecerem uma chave PIX para a devolução.

Caso não tenha uma chave cadastrada, você precisará entrar em contato com a instituição para combinar a forma de recebimento. Outra opção é criar uma chave e retornar ao sistema para fazer a solicitação.

1 – Não custa reforçar: a primeira etapa é saber se você tem valores a receber.

Sistema do BC é o único disponibilizado para consulta. — Foto: Reprodução/Banco Central

Sistema do BC é o único disponibilizado para consulta. — Foto: Reprodução/Banco Central

2 – Após clicar no botão da imagem acima, você será encaminhado para consulta pública.

  • Nessa etapa, é preciso preencher os campos com CPF e data de nascimento.
  • No caso de empresas, a busca é feita pelo CNPJ e data de abertura do negócio.
Primeiro passo é saber se você tem dinheiro a resgatar. — Foto: Reprodução/Banco Central

Primeiro passo é saber se você tem dinheiro a resgatar. — Foto: Reprodução/Banco Central

  • Caso tenha valores a receber, a tela irá indicar o terceiro passo.
  • Em caso contrário, o sistema irá sugerir uma nova consulta em outro momento, após possíveis atualizações de dados encaminhados por instituições ao BC.

3 – Confirmado que há dinheiro a resgatar, você será encaminhado para uma nova página do SVR.

  • De acordo com o BC, esse sistema é semelhante à compra de ingressos.
  • Ou seja, se houver acessos simultâneos acima da capacidade, você ficará em uma sala de espera virtual aguardando sua vez.
BC terá 'sala de espera' caso sistema seja sobrecarregado. — Foto: Reprodução/Banco Central

4 – Na sequência, é preciso fazer login com a conta gov.br. Não tem? Saiba criar uma.

Conta gov.br é necessária para resgate de 'dinheiro esquecido'. — Foto: Reprodução/Banco Central

Conta gov.br é necessária para resgate de ‘dinheiro esquecido’. — Foto: Reprodução/Banco Central

5 – Nessa etapa, você será encaminhado para o valor a receber, seja pessoa física ou jurídica.

  • Página também leva à consulta de pessoas falecidas.
Quinto passo irá levar à consulta de valores a receber. — Foto: Reprodução/Banco Central

Quinto passo irá levar à consulta de valores a receber. — Foto: Reprodução/Banco Central

6 – Você precisará aceitar o Termo de Ciência para prosseguir no sistema.

  • É preciso selecionar o quadradinho abaixo e clicar em “confirmar”.
Usuário terá que aceitar o Termo de Ciência. — Foto: Reprodução/Banco Central

Usuário terá que aceitar o Termo de Ciência. — Foto: Reprodução/Banco Central

7 – A tela seguinte trará as seguintes informações:

  • montante a receber;
  • nome e dados da instituição que deve devolver o valor;
  • origem (tipo) do valor a receber;
  • informações adicionais, quando for o caso.

Nessa página, também será possível acessar os dados e solicitar diretamente a devolução para a instituição financeira.

8 – A última etapa é o pedido de devolução dos valores.

  • Clique no botão “solicitar por aqui” e siga as orientações indicadas.
  • Em seguida, selecione uma das suas chaves PIX e, caso deseje, informe seus dados pessoais.
  • Nesse caso, a instituição devolverá o valor via PIX em até 12 dias úteis após a solicitação.

O botão “solicitar por aqui” só irá aparecer, no entanto, caso a instituição na qual você tem dinheiro esquecido tenha firmado um termo de adesão com o Banco Central.

  • Do contrário, o resgate não será feito diretamente pelo sistema do BC.
  • O sistema irá apenas informar o valor a receber e em qual instituição está aquele recurso.
  • Aparecerá, nesse caso, uma mensagem informando contatos oficiais (e-mail e telefone) para que você entre em contato diretamente com a instituição e combine a forma de devolução.
Você tem dinheiro esquecido? Saiba como consultar no Banco Central

Ativar som

Ativar som

Você tem dinheiro esquecido? Saiba como consultar no Banco Central

Confira abaixo respostas para as seguintes perguntas:

  • Há alguma novidade neste ano?
  • É possível gerar um comprovante para tomar empréstimos?
  • Quando o dinheiro será pago?
  • Como não cair em golpes

Há alguma novidade neste ano?

Além de valores esquecidos em contas correntes, poupanças, cooperativas de crédito, consórcios e tarifas e empréstimos, o sistema do Banco Central agora mostra valores oriundos de contas de pagamento, corretoras de títulos e valores mobiliários.

Neste ano, há também uma sala de espera virtual, que permanece aberta por prazo indeterminado, para efetuar o pedido do saque. Ou seja: não haverá, como no ano passado, necessidade de agendamento.

Segundo o BC, o sistema também ganhou mais transparência para quem tem conta conjunta. Se um dos titulares solicitar o saque de dinheiro esquecido, o outro, ao entrar no sistema, conseguirá ver as informações da solicitação: valor, data e CPF de quem solicitou.

A consulta a valores de pessoa falecida ganhou acesso para herdeiro, testamentário, inventariante ou representante legal, e informará os dados de contato da instituição responsável pelo valor e a faixa de valor.

É possível gerar um comprovante para tomar empréstimos?

Sim. Ao acessar o Sistema de Valores a Receber (SVR), a partir desta terça (10), você vai poder gerar um comprovante.

O documento é gerado com um número de protocolo e o valor correspondente que pode ser sacado, podendo ser usado como prova para um credor.

Quando o dinheiro será pago?

Segundo o Banco Central, o prazo de devolução é em até 12 dias úteis, se você solicitou o seu valor pelo SVR, clicando em “Solicitar por aqui”, e indicou uma chave PIX.

Em casos diretamente combinados com a instituição financeira correspondente, não há prazo definido.

Como não cair em golpes

Segundo o site do BC, a melhor forma de se precaver é:

  • Não fazer qualquer tipo de pagamento para ter acesso aos valores: todos os serviços do Valores a Receber são totalmente gratuitos.
  • Não clicar em links que indicam confirmação de dados pessoais: o BC não envia links nem entra em contato com você para tratar sobre valores a receber ou para confirmar seus dados pessoais.
  • Somente a instituição que aparece no Sistema de Valores a Receber é que pode te contatar e ela nunca irá pedir sua senha.
  • Não clicar em links suspeitos enviados por e-mail, SMS, WhatsApp ou Telegram.
  • O único site para saber informações sobre valores a receber é valoresareceber.bcb.gov.br

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *