Projetos Financeiros

Aqui você encontra diversas possibilidades de crédito.

Mercado de açõesNovidades

Mercado de Ações: o que é, como funciona, como investir e vantagens

Investir no mercado de ações não é privilégio de poucos. Se você quer alcançar seus objetivos financeiros, principalmente em relação à rentabilidade, pode ampliar seu conhecimento para conhecer melhor o mundo da renda variável.

Mesmo para iniciantes, o mercado de ações possui oportunidades que podem ser interessantes. Mas é preciso que esse tipo de investimento atenda ao seu perfil de investidor e aos seus objetivos financeiros, como acontece com qualquer aporte.

Neste conteúdo, você entenderá como funciona o mercado de ações, quais são as vantagens, riscos, custos envolvidos e possibilidades fazer seu dinheiro render. Então siga a leitura e saiba mais!

O que é mercado de ações?

O mercado de ações é o ambiente em que empresas de capital aberto negociam frações de seu capital social. Em geral, as operações de compra e venda acontecem em uma bolsa de valores, mas também podem ocorrer em mercados de balcão.

Você já deve ter visto no noticiário como o mercado financeiro e o mercado de capitais se movimentam. Mudanças políticas, econômicas e em grandes empresas — sejam no Brasil ou em outros países com influência global — provocam reações na bolsa de valores.

Existem muitos altos e baixos. Por isso, as ações são conhecidas como investimentos de maior risco. Contudo, com conhecimento e estratégia na prática, é possível buscar potencial de rentabilidade mantendo o risco manejado.

Assim, são muitos os mitos e ideias equivocadas sobre o mercado de ações que ainda estão na mente do público em geral. Mas, ao entender sobre o seu funcionamento, fica mais fácil dar o destino certo ao seu dinheiro.

Confira!

A bolsa de valores

O mercado de ações está intimamente ligado à bolsa de valores. Como você viu, é nesse ambiente que se negociam os papéis das principais empresas listadas. Então é fundamental que você entenda o que ela é.

No Brasil, a bolsa de valores tem o nome de B3. Ela serve como uma plataforma de negociação de ativos entre empresas e investidores. Aqui, é importante saber que ela apresenta tanto o mercado primário quanto o secundário.

O mercado primário diz respeito à venda de ativos diretamente do emissor aos investidores. Ou seja, quando a empresa faz uma oferta pública inicial (IPO), ela vende suas ações aos interessados. Logo, o capital arrecadado com essa negociação entra nos recursos da companhia.

Já no mercado secundário não há participação do emissor de papéis. As negociações são realizadas entre os próprios investidores. É o que acontece com aqueles que adquirem seus papéis fora do IPO ou de outra oferta da empresa. Eles são negociados de um investidor para outro.

Quais são os tipos de ações existentes?

Você já entendeu que as ações representam uma fração do capital social de uma empresa listada na bolsa de valores. Dessa forma, ao adquirir papéis, o investidor se torna sócio da companhia, tendo direito a participar dos resultados obtidos.

Nesse cenário, espera-se que a empresa apresente bons resultados. Consequentemente, as ações também podem aumentar de preço. Caso sejam vendidas por um preço mais alto que o da compra, o investidor tem lucro.

Outra forma de obter rentabilidade é recebendo proventos com as ações, como os dividendos. Eles são a distribuição, em dinheiro, dos lucros da empresa aos acionistas. Assim, cada um receberá, proporcionalmente ao número de papéis, uma porcentagem dos ganhos.

Para entender melhor as formas de funcionamento e remuneração das ações, é fundamental conhecer os tipos de ações existentes. Afinal, elas garantem direitos distintos aos acionistas.

Veja só:

Ações ordinárias (ON)

As ações ordinárias são conhecidas pela sigla ON. Elas têm duas características principais: o direito ao voto em assembleias e o tag along.

Dessa maneira, quem quer ter mais controle sobre as decisões da empresa, pode optar por elas. No entanto, vale destacar que o direito ao voto é proporcional ao número de ações. Ou seja, um pequeno investidor terá pouco impacto nas decisões.

Já o tag along diz respeito à proteção no caso de alterações no controle da empresa. Se o bloco de controle empresarial for vendido, os investidores com ações ON poderão vender suas ações por um percentual mínimo em relação ao que foi pago aos acionistas majoritários.

Ações preferenciais (PN)

Já as ações preferenciais, conhecidas pela sigla PN, não dão direito a voto em assembleia ou ao tag along. No entanto, como o nome indica, elas garantem preferência em alguns pagamentos relacionados aos papéis.

Nesse sentido, os dividendos são pagos preferencialmente aos detentores dessas ações, antes das ordinárias. Ademais, em caso de liquidação, falência e outros problemas, quem possui papéis preferenciais também terá prioridade no reembolso de capital — se for o caso.

Como funciona o mercado de ações?

Uma forma de entender a dinâmica do mercado de ações de forma simples é comparando-o a uma feira. No entanto, em vez de mercadorias, as empresas e os investidores disponibilizam suas ações, também chamadas de papéis.

Assim, a bolsa é um ambiente online onde se pode comprar e vender ativos. Os preços oscilam de acordo com a lei de oferta e demanda, de modo que o valor de mercado da companhia é volátil.

Existem diversos fatores interessantes sobre esse mercado. Conheça pontos necessários para a sua compreensão:

Oscilação de preço

É interessante observar que os preços das ações mudam a todo momento. Como você viu, eles são influenciados pelas transações de compra e venda que estão ocorrendo durante o pregão. Também há influência de notícias, questões econômicas e outros elementos.

Por esse motivo, para investir no mercado acionário, é preciso saber lidar com a volatilidade. Em geral, as ações são mais adequadas para investidores que não sejam muito conservadores. Ter abertura ao risco e controle emocional é fundamental para tomar as melhores decisões.

Atuação do acionista

Ao comprar ações de uma empresa você se torna um acionista. Mas é válido saber que sua atuação é bastante diferente dos sócios majoritários. Dependendo do tamanho da participação adquirida, como vimos, não será preciso ou possível participar de decisões sobre a gestão da empresa.

Horários de negociações

Apesar de ser totalmente digital, o ambiente da bolsa funciona a partir de horários certos para a negociação de ações. Apenas neles é viável organizar as transações, fazer fechamentos diários de cotações e outras situações importantes.

Para entender esses horários, vale conferir na página oficial da B3, pois eles podem mudar de acordo com determinados fatores. De forma geral, o mercado acionário funciona das 09:30 até as 18:00, incluindo o período de cancelamento de ofertas e after-market.

Objetivos do mercado de ações

Os objetivos no mercado de ações podem ser diversos, mas há dois grupos principais: os investimentos e a especulação. O investidor normalmente é voltado para o longo prazo e se baseia em objetivos para o patrimônio.

Já o especulador foca em operações de curtíssimo e curto prazo, com o objetivo de aproveitar a volatilidade ara buscar lucros. É o caso do day trade e swing trade, por exemplo.

Além disso, a compra e venda de ações cumpre funções diferentes para a economia, para as empresas de capital aberto e para os próprios investidores.

Entenda melhor a seguir!

Para a empresa

Como você viu, a empresa realiza uma oferta primária de ações ou IPO para abrir capital na bolsa. Com isso, ela busca se capitalizar com recursos para realizar novos investimentos e expandir sua atuação ou até mesmo abater dívidas e melhorar a sua saúde financeira.

Assim, a companhia cria as condições para crescer, produzir mais, gerar renda  e tornar-se mais atrativa para investidores. É um ciclo virtuoso.

Para os investidores

O mercado de ações possibilita que o investidor obtenha o melhor de um negócio (lucro e rentabilidade) sem participar da burocracia, administração e gestão. Mas é preciso considerar que ele assume também os riscos de prejuízo oriundos da queda das ações e desvalorização do patrimônio.

Para a economia

Como você viu, a repercussão de uma decisão econômica se reflete nas ações e na bolsa de valores de uma maneira geral. Ao analisar os movimentos de compra e venda das ações das empresas mais importantes, existe uma correlação com o crescimento da economia de um país.

Se as principais empresas vão mal, esse é um indicativo que se transfere ao país como um todo. O mesmo acontece quando elas vão bem. Desse modo, a evolução do mercado de capital se relaciona com o crescimento da economia nacional.

Como está o mercado de ações no Brasil?

No Brasil, o mercado de ações está ganhando cada vez mais espaço, em um ambiente que era dominado pela segurança das aplicações em renda fixa. O medo de investir na bolsa parece estar passando e mais pessoas buscam entender como funciona a dinâmica dela.

Isso se deve, principalmente, pela facilidade com que a educação financeira e informações sobre o mercado se alastram. Ainda, os bancos de investimentos e assessorias também prestam um serviço fundamental para ajudar os investidores a começar sua jornada com as ações.

Como investir em ações?

Não existe apenas uma maneira de investir em ações. Na verdade, há três formas principais de fazer isso: por fundos de ações, ETFs (exchange traded funds — os fundos de investimento em índice de mercado) ou individualmente, montando a própria carteiraQue tal saber mais sobre elas?

Fundo de ações

Os fundos de açõesrepresentam uma das portas de entrada para esse mercado. Aqui, o fundo é lançado no mercado com uma estratégia de alocação definida. Os interessados em participar dos resultados compram cotas, que representam parte do patrimônio do veículo.

Portanto, trata-se de uma modalidade coletiva, em que os investimentos são realizados por um gestor profissional, e não pelos investidores. De modo geral, os fundos podem apresentar portfólios variados, podendo ser uma estratégia para se expor a diferentes empresas.

No caso de fundos de ações, o portfólio é destinado, majoritariamente, à negociação de papéis na bolsa de valores. Isso pode ser feito a partir de diferentes estratégias e perfis de risco. Por isso, antes de adquirir cotas de um fundo, você deve buscar informações na lâmina dele.

Em síntese, há uma principal diferença entre investir em ações e investir em um fundo de ações. No primeiro caso, é o investidor quem compra e vende seus papéis de acordo com a avaliação que faz. Já no segundo caso as decisões cabem ao gestor do fundo. Além disso, os fundos de ações não distribuem dividendos.

ETFs

Os exchange traded funds (ETFs) também são fundos de investimento, mas apresentam uma particularidade: eles buscam replicar os resultados de um índice de mercado. Assim, diferenciam-se de fundos com gestão ativa, no qual o gestor toma decisões mais livremente.

A gestão dos ETFs é passiva. Afinal, basta que o profissional realize os investimentos de acordo com a carteira teórica do indicador escolhido. Pense no BOVA11, um ETF que replica o Ibovespa — o índice que reúne as ações mais negociadas na bolsa de valores brasileira.

Nesse caso, o gestor realiza as compras e vendas de ações de acordo c

om os critérios do indicador. Logo, quem adquire as cotas do fundo está se expondo indiretamente ao índice. Essa pode ser uma maneira de diversificar a carteira.

Investindo diretamente em ações

Ao investir diretamente em ações você é o responsável por realizar as operações de compra e venda. Já as escolhas de ativos podem ser feitas de forma autônoma ou com a ajuda de profissionais — por exemplo, ao seguir uma carteira recomendada.

Vantagens de investir em ações

O investimento no mercado de ações pode apresentar importantes vantagens, em especial no cenário de longo prazo. Entre elas, está o potencial de rentabilidade do mercado — que é maior se comparado à renda fixa.

Ademais, há possibilidade de diversificação da carteira, já que existem muitas empresas e setores negociados na bolsa. Logo, o investidor tem oportunidades de se expor a cenários diversos (inclusive, o internacional, por meio dos ETFs).

A tributação também pode ser vantajosa para investidores de ações. A venda dos papéis com lucro é isenta até uma faixa. Assim, quem vende menos que R$ 20 mil em ações em um mês não precisa pagar Imposto de Renda sobre o lucro.

Contudo, é preciso atenção: fundos de índice e fundos de ações não contam com isenção.

Riscos de investir no mercado de ações

Depois de conhecer as vantagens das ações, é preciso estar atento ao risco. Nesse ponto, vale destacar que o maior potencial de ganhos tem exatamente relação com o aumento de riscos e da volatilidade.

Investir em ações na bolsa de valores, apesar da crescente popularidade entre os investidores, exige disciplina e estratégia. Há chance de ganhos, mas também de perdas consideráveis. E esses movimentos são impossíveis de prever com exatidão.

Por isso, é preciso tomar precauções antes de iniciar no mercado de ações. Por exemplo, ao decidir em que papéis investir não deixe de avaliar o contexto econômico, o histórico da empresa e as perspectivas para ela.

Tudo isso é importante para atenuar as chances de erro. Mas, ainda assim, é possível ser surpreendido. Uma dica é contar com apoio profissional e acompanhar recomendações na hora de investir, como carteiras recomendadas por analistas.

Quais são os custos de investir em ações?

Em relação aos custos de investir no mercado de ações não há uma resposta exata. O ideal é que você consulte um assessor de investimentos sobre os custos envolvidos. Afinal, cada instituição segue uma política de cobrança.

Mas existem certos custos que você pode ter que arcar ao investir em ações. São eles:

  • Taxa de corretagem: valor cobrado pelas instituições pelo acesso ao mercado. Dependendo do banco de investimentos, ela pode ser uma porcentagem da operação realizada ou um valor fixo.
  • Taxa de custódia: valor mensal cobrado pela guarda das ações pela B3 e pelos serviços oferecidos pelo banco, que pode ou não ser cobrado pela instituição que você tem conta.
  • Emolumentos: taxa cobrada pela B3, que representa um valor percentual sobre o total do volume negociado.
  • Imposto de Renda: como você viu, há uma faixa de isenção nas vendas para ações. Nas operações que ultrapassam essa faixa, a alíquota sobre o lucro é de 15%.

Dicas para quem está começando

Buscar conhecimento é uma etapa importante para quem quer entrar no mercado de ações. Em especial, quando se considera que muitos brasileiros não conhecem opções de investimentos para além da poupança.

Apesar de ser uma opção tradicional, a poupança não apresenta vantagens em relação à rentabilidade. Em certos cenários econômicos o rendimento é menor que a inflação. Assim, é importante estudar outros investimentos e entender as alternativas.

Quais são as melhores ações do mercado para investir?

Ao investir em ações, é comum se perguntar quais são as melhores empresas. Mas não há uma resposta certa para essa dúvida. Ela depende da sua estratégia e análises para identificar aquelas que fazem mais sentido para seus objetivos.

Como cada investidor tem um perfil, objetivos e características diferentes, é preciso considerar esses elementos na escolha. Se você ainda não consegue fazer a análise sozinho (ou não quer dedicar tempo a isso), uma dica é acompanhar, como viu, as carteiras recomendadas.

Mercado de ações: dúvidas frequentes!

Até aqui você entendeu o que é e como funciona o mercado de ações. Mas, que tal complementar seu conhecimento?

A seguir você conhecerá a resposta das principais dúvidas que os investidores têm em relação ao mercado de ações. Confira!

Qual é o valor mínimo para investir no mercado de ações?

Não há exatamente um valor mínimo para investir nesse mercado. Apesar de as negociações padrões acontecerem em lotes com 100 papéis, há possibilidade de utilizar o mercado fracionário.

Nele, o investidor pode adquirir as ações em unidades — de 1 a 99 unidades. Dessa forma, basta ter dinheiro suficiente para comprar uma ação no momento do

investimento.

Quais são os principais erros do iniciante ao investir no mercado de ações?

O principal erro em relação ao início dos investimentos é fazer suas escolhas sem conhecimento ou ajuda profissional. Ou seja, apenas escolher ações sem uma análise prévia e definição de objetivos.

O ideal é saber por que você está fazendo essa escolha, qual finalidade deseja alcançar e quais são as alternativas mais indicadas para seus objetivos. Dessa forma, haverá mais embasamento e segurança nos aportes.

Quais ações estão abaixo do preço?

Uma dúvida comum dos investidores diz respeito às ações abaixo do preço. Ou seja, quais são aqueles que estão sendo comercializados por uma cotação abaixo do valor intrínseco da empresa. Essa é uma análise utilizada na estratégia de value investing para buscar maior potencial de ganhos.

Para saber sobre isso, você deve avaliar os fundamentos da companhia. Também pode consultar relatórios de profissionais em nossa página dedicada à análise de ações.

O que é preciso para começar a investir em ações?

Além de conhecer o assunto, é fundamental contar com um banco de investimentos para começar seus aportes. Assim, você terá a plataforma para acessar ao home broker, o sistema da bolsa de valores.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *